A chave

Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho de  homem, com vestes talares e cingido, à altura do peito, por uma cinta de ouro.  A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve;  os olhos, como chama de fogo;  os pés, semelhantes ao bronze polido, como que refinado numa fornalha;  a voz, como voz de muitas águas.  Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía-lhe uma afiada espada de dois gumes.  O seu rosto brilhava como o sol na sua força. Quando o vi, caí a seus pés como morto.  Porém ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas;  eu sou o primeiro e o último e aquele que vive;  estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno (Apocalipse 1:12-18).


Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer;

Apocalipse 1:19

Sem comentários: